Será que o ifood vale a pena para o seu delivery?

será que o ifood vale a pena?

Com a alta nas plataformas de delivery, especialmente no setor de alimentação, muitos restaurantes, lanchonetes, pizzarias, entre outros comércios, avaliam a possibilidade de se cadastrarem no aplicativo iFood para oferecerem os seus menus de serviços.

Como é esperado, existem vantagens e desvantagens em se utilizar o iFood. Apesar das facilidades e do reconhecimento do público quanto à praticidade desse aplicativo, muitos comerciantes identificaram pontos que podem representar inconvenientes significativos para os restaurantes.

Veja, a seguir, as principais vantagens e desvantagens de utilizar o iFood. Confira!

Quais são as vantagens de usar o iFood?

Exposição do comércio

Uma vez que você cadastra o seu negócio no iFood, ele ficará disponível para ser descoberto e visualizado por diversas pessoas em sua área geográfica.

Essa exposição pode representar aumento no faturamento do seu restaurante, já que ,além de atender seus clientes antigos, haverá maior facilidade em vender os seus serviços para um público novo do iFood.

Facilidade de implementação

Um dos maiores bônus de usar o iFood é, certamente, a praticidade na hora de começar a utilizar esse recurso.

Não há grandes burocracias e, depois que você passar pela moderação, poderá começar a receber novos pedidos imediatamente.

Pagamento facilitado

Por fim, o fato do iFood tornar possível receber os pagamentos de forma segura e garantida é, sem dúvidas, um grande ponto positivo.

Essa característica dispensa a necessidade de que os seus entregadores circulem pelas ruas com dinheiro em quantidade mais elevadas.

Quais são as desvantagens de usar o iFood?

Altas taxas

Como nada é de graça, existem as desvantagens que o iFood apresenta para os comerciantes. Um dos fatores que faz com que muitos desistam de utilizar a plataforma são as taxas cobradas.

Além dos restaurantes serem obrigados a pagar uma mensalidade para usar o iFood, que varia de R$ 80,00 a R$ 100,00, é cobrada uma taxa sobre cada pedido processado na plataforma.

Essa porcentagem, que varia entre 12 e 27% sobre o total do pedido (incluindo entrega) faz com que a margem de lucro sobre o produto vendido seja menor ou até negativa em alguns casos. Em um estudo realizado pela ABRASEL conclui que a margem média de bons restaurantes é de 15% a 20% sobre o produto vendido.

O que muitos restaurantes no Brasil fazem é colocar na conta de produção somente o custo da matéria prima (pão, massa, tomate, alface… etc). Estes estabelecimentos acabam deixando de fora da conta todo o restante, como mão de obra, luz, gás, aluguel, impostos ,etc. Isto faz com que a maior parte destes estabelecimentos morram em seus primeiros anos de operação pelo fato de não saberem quanto é seu real custo para produzir seus produtos.

E aí você sabe qual a margem que você ganha em seus produtos?! Caso sua margem seja 2x a taxa de aplicativos de pedidos, você tem uma renda saudável. Caso contrário terá que vender em muita quantidade para poder sobreviver em um mercado cada vez mais concorrido e exigente.

Dependência da plataforma de terceiros

Se para aumentar a visibilidade para os usuários do iFood existem taxas a serem pagas, outra desvantagem é a dependência do uso de plataformas de terceiros que o aplicativo pode acabar criando.

Os termos de uso, regras, taxas e demais regulamentos podem ser mudados a qualquer momento. Assim, apesar da maior exposição do restaurante, é necessário considerar que essa dependência é uma desvantagem significativa para o negócio.

Concorrência elevada

A exposição para um público cada vez maior também significa que outros restaurantes têm a mesma vantagem.

Os critérios de visibilidade do iFood dependem das avaliações dos clientes. Assim, se houverem deslizes, desentendimentos e outros imprevistos que são comuns aos comércios de alimentação, isso pode significar uma média menor e uma queda na credibilidade do restaurante no iFood.

Pouca proteção contra trotes

Outra ação pouco mencionada e que vem ganhando força nos últimos meses e trazendo prejuízos aos comerciantes são os trotes no iFood.

A plataforma ainda não cobre esse tipo de custo e não tem ações concretas para ajudar o restaurante a tomar as devidas providências caso acontecimentos como esse ocorram.

Não perca nenhuma novidade!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Deixe uma resposta